BLOG DO ESPETO - PRETO.png
QUESTÃO DE ORDEM.jpg
  • Vilmar Bueno, o ESPETO

Momento ainda inspira cuidados



São Bento do Sul

Durante a reunião desta quinta-feira (29) do comitê de crise da Covid-19 em São Bento do Sul, um dos pontos destacados refere-se ao momento pelo qual o município passa em relação à doença. Os gráficos mostram que os casos confirmados, suspeitos e monitorados vinham regredindo gradualmente, no entanto, na última semana houve uma estabilização em relação à semana anterior.

Conforme a secretária de Saúde, Carmen Binotto, isso preocupa o setor enquanto saúde pública, pois têm ocorrido algumas liberações e algumas pessoas acham que a pandemia acabou, relaxando desta forma com os cuidados. Porém, ela adverte que não se chegou ainda ao fim da pandemia e a estabilidade dos números deixa a pasta em alerta, pois com a chegada da variante Delta, muito mais transmissível, pode ocorrer nova explosão de casos. “O cenário é de uma aparente calmaria, mas exige muita atenção. Ficaríamos muito mais confortáveis caso nesta última semana estivéssemos seguindo com um nível de queda nos números”, justificou.

A médica Andrea Duvoisin, responsável pela Central de Monitoramento, é também quem faz a análise e compilação dos dados. Semanalmente ela apresenta o balanço ao comitê de crise e na reunião desta quinta, também demonstrou preocupação, reforçando o pedido para que a população não relaxe nos cuidados, que siga mantendo distanciamento social, higienizando as mãos e utilizando máscaras, justamente por conta da estabilização dos números.

Outro ponto destacado no encontro foi em relação à vacinação. De acordo com a secretária de Saúde, 50.880 doses já foram aplicadas na população de São Bento do Sul, e 60,98% do público vacinável (acima de 18 anos) já recebeu a primeira dose. Os imunizados com segunda dose ou dose única representam 20%.

Conforme os números, a taxa de confirmação entre casos suspeitos em São Bento do Sul segue estável entre 20% a 24%, o que é classificado como “grave” pela matriz de risco do governo estadual. Mas, conforme a vacinação avança, percebe-se a mudança no perfil dos pacientes.

Conforme Andrea, já se nota redução nos casos envolvendo pacientes com idade entre 50 a 59 anos, e com a aplicação das segundas doses e conclusão do esquema vacinal, espera-se redução ainda maior, seguindo, com o tempo, para outras faixas etárias.

Eficácia – Um item abordado pela médica foi em relação às vacinas oferecidas à população. Ela lembra que praticamente todas as pessoas acima de 60 anos foram vacinadas com Coronavac, em São Bento do Sul. E desde o início da imunização e agora com as segundas doses já aplicadas, não se nota há semanas alta nos casos de Covid-19 neste público. E ela diz que todas as demais vacinas são altamente eficazes, mas que não existe no mundo nada que seja 100% garantido.

Por isso, ela e a secretária de Saúde pedem que a população se vacine e não queira ficar escolhendo a marca da vacina, pois todas demonstram ter sua eficácia e todas apresentam taxas de eficácia parecidas. Carmen lembrou o caso do prefeito Antonio Tomazini, vacinado com Coronavac, e mesmo estando com a saúde debilitada por ter enfrentado tratamento contra o câncer, quando foi acometido recentemente pela Covid-19, não precisou ser internado e nem teve a forma grave da doença.

Tomazini, também presente à reunião virtual, destacou a importância da vacinação e para ele, seu caso só não foi mais grave, justamente por já ter sido imunizado. “Por isso, peço à população que se vacine, que mantenham os cuidados, pois é uma doença séria, mas tenham certeza que mantendo todos os cuidados podemos vencer. O momento ainda não é de relaxar”, disse.

Variante Delta – Andrea ainda explicou que não existem estudos conclusivos no âmbito mundial quanto ao grau de cobertura das vacinas em relação à variante Delta, descoberta na Índia. Mas, dados preliminares mostram que sim, as vacinas conseguem impedir a evolução da doença nestes pacientes.

Como já existem casos de transmissão comunitária no Paraná da variante Delta, a própria secretária de Saúde, Carmen Binotto, não descarta a possibilidade do vírus já circular em São Bento do Sul. “Já tivemos caso de uma busca ativa na cidade e se detectou ter sido de uma pessoa que tinha viajado para São Paulo. Por isso é importante que todos se cuidem e mantenham atenção às regras sanitárias”, reforçou.

Conforme Andrea, a Delta é muito mais transmissível que as variantes anteriores e caso haja um surto de contaminação, isso pode voltar a sobrecarregar o sistema de saúde, em especial o Hospital e Maternidade Sagrada Família, que hoje vive uma realidade muito diferente do que acontecia até poucas semanas.

Hospital – O diretor geral do Sagrada Família, Oscar Júnior, disse que atualmente apesar do clima de tranquilidade na unidade, o receio de nova alta dos casos persiste. Conforme o boletim apresentado por ele no encontro, nesta quinta-feira existiam apenas dois pacientes internados em UTI Covid e outros oito com diferentes diagnósticos. Na enfermaria, dos 30 leitos ocupados, sete eram por pacientes Covid e dois por suspeitas.

Feistock – A secretária de Saúde, Carmen Binotto, também falou sobre a Feistock, feira de móveis e decorações que acontece em agosto, na Promosul. Ela destacou o regramento e os cuidados da organização do evento para garantir a segurança do público. “A Feistock será muito mais segura que os shopping centers por aí. Se os shoppings adotassem essas regras, certamente os casos seriam menores”, comparou.

No entanto, o prefeito Antonio Tomazini falou sobre o comércio em geral, onde ele tem percebido que, aos poucos, os cuidados estão sendo deixados de lado. Para reforçar a importância das regras, a Vigilância Sanitária vai realizar visitas aos estabelecimentos para verificar a situação e orientar os comerciantes.