BLOG DO ESPETO - PRETO.png
  • Vilmar Bueno, o ESPETO

Covid-19: SC tem 9 regiões em nível gravíssimo, mostra novo mapa de risco



Estado

Grande Florianópolis retornou ao nível gravíssimo no mapa de risco da Covid-19, enquanto outras quatro regiões foram reclassificadas em nível grave

Das 16 regiões de Santa Catarina, nove estão em risco gravíssimo para a Covid-19, mostra o mapa de risco divulgado na tarde desta quarta-feira (20) pela SES (Secretaria Estadual de Saúde de Santa Catarina). As outras sete regiões estão em nível grave.

Houve uma queda de regiões se comparado ao último boletim, publicado há uma semana. No mapa de risco do dia 13 de janeiro, eram 13 as regiões no patamar mais alto para o risco de transmissão.

Em relação aos dados da última semana, foram reclassificadas quatro regiões. Foram do nível gravíssimo para o grave: o Extremo Oeste, Laguna, Extremo Sul e Xanxerê.

No total, estão em nível grave as regiões do Alto Vale do Itajaí, Carbonífera, Extremo Oeste, Extremo Sul Catarinense, Laguna, Médio Vale do Itajaí e Xanxerê foram classificadas em nível grave (cor laranja).


Grande Florianópolis em nível gravíssimo

Já a Grande Florianópolis retornou para o nível gravíssimo após permanecer uma semana no nível grave, estando com os níveis de monitoramento, transmissibilidade e óbitos no patamar mais alto de atenção.

O Extremo Sul Catarinense é o que apresenta o nível de capacidade de atenção mais confortável, apresentando o nível moderado.

De acordo com a epidemiologista Maria Cristina Willemann destacou que seis regiões do estado apresentam ocupação dos leitos de UTI Covid inferior a 70%. “O número de óbitos e casos registrados essa semana, se comparado com a última matriz, permanece estável”, disse.


Expansão da pandemia

De acordo com a SES, as regiões classificadas em risco grave ou gravíssimo registram alta na ocorrência de mortes em decorrência da infecção de Covid-19.

A pandemia segue em expansão em Santa Catarina. Quanto ao aumento de casos de Covid-19, o novo mapa mostra todas as regiões em nível grave ou gravíssimo. Na maior parte do Estado, o percentual de exames positivo é cerca de 30%.

Já quanto a ocupação de leitos, dez regiões estão em nível vermelho (em alerta), e somente o Extremo Sul Catarinense está em situação moderada – a região estava em nível de atenção no último mapa.

Fonte: SES