BLOG DO ESPETO - PRETO.png
  • Vilmar Bueno, o ESPETO

CORONAVÍRUS– Associações de Municípios lançam campanha de estímulo à vacinação completa



Região

A vacina é principal arma contra o coronavírus. E dentro da proposta de estimular às pessoas a se vacinarem para que haja a retomada da normalidade, as associações dos municípios das regiões Nordeste (Amunesc), Vale do Itapocu (Amvali) e do Planalto Norte (AmplaNorte), juntamente com a Comissão Regional para Combate e Enfrentamento à Pandemia do Novo Coronavírus na Macrorregião Planalto Norte e Nordeste, lançaram a campanha “Vida normal é com Vacina”. A mobilização também conta com o apoio das Prefeituras dos municípios dessas regiões.


A ação conta com um vídeo e materiais de divulgação que serão difundidos nas redes sociais das instituições envolvidas na campanha. Essa proposta é para motivar ainda mais a população dessas regiões a seguir os agendamentos de vacinação e das doses recomendadas pelas Prefeituras Municipais, por meio das Secretarias de Saúde.


O governo do Estado também está reforçando a necessidade de todos cumprirem os agendamentos da segunda dose das vacinas para haja a eficácia na imunização contra a doença. Conforme a Secretaria de Estado da Saúde, no final de julho 125 mil pessoas não haviam retornado às unidades para receber a segunda dose dentro prazo indicado.


A coordenadora da Comissão Regional para Combate e Enfrentamento à Pandemia e diretora-executiva do Consórcio Intermunicipal de Saúde do Nordeste de Santa Catarina (Cisnordeste), Ana Maria Jansen, ressalta que o sistema de saúde precisa que a população compreenda a importância da vacina e tome as doses nos prazos corretos.


“A expectativa é a queda no número de casos, a gravidade e óbitos. Os dados vêm demonstrando que estamos mudando o cenário conforme a vacinação avança. Consequentemente, a retomada das atividades será na mesma proporção, porém sempre mantendo os cuidados sanitários porque precisamos aprender a conviver com a Covid-19 e suas variantes por longo tempo ainda”, avalia.


As cidades estão avançando com suas ações de vacina e a projeção é que esse ano a maioria da população da macrorregião Nordeste esteja imunizada preventivamente contra a Covid-19. O alerta de reforço é que as pessoas que se imunizaram na primeira dose sigam as orientações para tomar a segunda dose. Em Joinville, por exemplo, segundo dados da Secretaria da Saúde, até o começo de agosto cerca de 4,7 mil pessoas não haviam retornado para fazer o complemento da proteção.


O secretário da Saúde de Joinville, cidade integrante da região da Amunesc, Jean Rodrigues da Silva, disse que o município está fazendo busca ativa dessas pessoas para que sejam imunizadas completamente. “É importantíssimo tomar a segunda dose para a pessoa ser considerada imunizada. É imprescindível para a coletividade que os indivíduos completem o seu o ciclo vacinal para formar o cinturão de bloqueio de circulação do vírus”, reforça Rodrigues.


O especialista em Avaliação em Saúde e assessor para assuntos relacionados à Covid-19 junto à Associação dos Municípios do Vale do Itapocu (Amvali), Luís Fernando Medeiros, salienta o compromisso coletivo de se vacinar, como ação de saúde pública.

Segundo ele, a vacina é a medida mais efetiva para ser prevenir e controlar a doença. “A vacinação é o caminho de volta à normalidade, os indicadores já têm mostrado a redução significativa de internações e óbitos em pessoas que já receberam a imunização completa. Ao se vacinar, a pessoa está ajudando toda a comunidade a diminuir os casos da doença”, orienta Medeiros.


O coordenador de Políticas Públicas em Saúde da Associação dos Municípios do Planalto Norte (AmplaNorte), Ricardo Nestor de Paula, também amplia a importância de todas as pessoas serem vacinadas, em todas as doses sugeridas, para que se tenha uma imunização completa. “A vacina é um benefício que nos torna imunizados de maneira individual e de forma coletiva. Dessa forma poderemos reduzir o número de internamentos e mortes que abalam toda uma estrutura familiar. Com a vacinação poderemos erradicar essa doença e voltarmos a viver numa vida normal”, diz.


Mesmo com a vacina em andamento, no momento é recomendada também a manutenção das medidas preventivas, como uso de máscaras, higienização e distanciamento.