BLOG DO ESPETO - PRETO.png
  • Vilmar Bueno, o ESPETO

Comitê de Crise - Município passa a seguir as deliberações do Estado



São Bento do Sul

Durante a reunião do comitê de crise de enfrentamento da Covid-19, em São Bento do Sul, realizada nesta quinta-feira (02) pela manhã, ficou definido que o município passa a seguir integralmente as deliberações do governo estadual. Com isso, restrições como o número de músicos nos palcos e a limitação em 70% no número de passageiros nos ônibus do transporte coletivo serão revogadas.


Porém, os donos de bares, restaurantes e outros estabelecimentos que ofereçam música ao vivo devem ficar atentos ao que determina o decreto estadual. Pela regra em vigor em Santa Catarina, deverá ser garantido um distanciamento mínimo de 2 metros entre os artistas e os convidados.


Quando não for possível manter esta distância mínima, deverá ser instalada barreira em acrílico, com altura superior a 50 centímetros acima da cabeça dos músicos. O uso de máscara com cobertura de nariz e boca é obrigatório para todos os artistas que não estiveram em apresentação vocal, bem como para todos os integrantes da equipe de produção. Não deverá ser permitido o compartilhamento de microfones, equipamentos e instrumentos musicais sem a prévia higienização.


Não deverá ser permitida qualquer atividade interativa que possa resultar em contato ou aproximação dos artistas ou da equipe de produção com os frequentadores do estabelecimento. O estabelecimento não deverá permitir espaço para dança durante as apresentações musicais, bem como deverá inibir quaisquer atividades interativas que gerem contato ou proximidades entre os frequentadores, a exemplo de dança e aproximações ao palco ou ao local da apresentação.


Imediatamente antes do início de cada apresentação musical, inclusive após os intervalos, o artista deverá obrigatoriamente informar os frequentadores quanto às medidas de prevenção contra a Covid-19, com ênfase no distanciamento interpessoal, no uso correto e obrigatório de máscaras, no risco de aglomerações e no compartilhamento de objetos. Os estabelecimentos também devem ficar atentos porque o decreto estadual não permite a publicidade e propaganda que promova aglomerações nos locais. Quando não estiverem ocorrendo apresentações artísticas, os estabelecimentos poderão veicular som ambiente em volume baixo, que não interfira na comunicação interpessoal.


Quanto ao transporte coletivo, fica autorizado o retorno de 100% da capacidade dos veículos. Porém, o ingresso e a permanência de usuários somente será permitido com a utilização de máscaras de proteção. Conforme o prefeito Antonio Tomazini (PSDB), apesar das liberações, a população não deve deixar de manter os cuidados para evitar que os casos voltem a ser registrados com mais intensidade no município. “Com a colaboração de todos, tenho certeza que vamos conseguir retomar a nossa vida aos poucos”, disse.


Transição – Ainda durante a reunião, a secretária de Saúde, Carmen Binotto, explicou que setembro será um mês de transição, por conta do avanço da vacinação e da estabilização no número de casos. Uma das mudanças que se prevê é que o posto de saúde da Vila 1º de Maio deixe de ser para atendimento exclusivo a síndromes gripais, retomando suas atividades normais. E todos os demais postos da rede serão preparados para atendimento destes pacientes. A expectativa é que a partir de 1º de outubro não se tenha mais um Centro de Covid no município.


Carmen também explicou que apesar do cadastro aberto para jovens de 12 a 17 anos, a vacinação desse público ainda não iniciou porque as doses não foram repassadas pelo governo do Estado. Mas ela acredita que ao longo do mês, já possam ser feitas as primeiras aplicações. “Lembrando que é uma obrigação dos pais fazerem o cadastro e não das escolas”, disse.


Atenção – A médica Andréa Duvoisin, responsável pelo monitoramento no município, apresentou dados que comprovam uma estabilização dos números de casos em São Bento do Sul, no entanto, ela diz que é necessária atenção porque os indicadores já mostram que em algumas regiões o panorama é outro, como no Extremo Sul, onde houve 86% de crescimento no número de casos, assim como no próprio Planalto Norte, que subiu 23% na última semana.


Ela explica que o receio é por conta de um novo pico de contaminação, pois o que se vê nos indicadores é exatamente a mesma coisa do que ocorreu no último surto, com algumas regiões apresentando elevação e algumas semanas após, isso se refletindo em São Bento do Sul.


Conforme Andréa, Joinville, por exemplo, já tem novamente 98% de sua rede hospitalar comprometida e alguns pacientes foram transferidos para São Bento. Curitiba também já apresenta números preocupantes. “E são cidades próximas, onde muita gente se desloca daqui para elas com frequência”, disse.


E a preocupação da médica já é refletida no Hospital e Maternidade Sagrada Família, com quatro leitos de UTI Covid ocupados, sendo dois por pacientes de São Bento do Sul, um por paciente de Rio Negrinho e um de Joinville. Na enfermaria estão dois pacientes transferidos de Joinville. “Temos que ficar de olho porque em caso de novo surto podemos ver comprometida nossa capacidade de atendimento no hospital”, alertou Andréa.


Mensalmente – Como está havendo uma estabilização nos casos de Covid-19 em São Bento do Sul e a Prefeitura passa a seguir integralmente as regras do governo estadual quanto aos decretos de restrição, a partir de agora as reuniões do comitê de crise passam a ocorrer mensalmente e não mais todas as semanas. Porém, extraordinárias podem ser convocadas caso necessário.