• Vilmar Bueno, o ESPETO

Comitê de Crise - "Ainda não é hora de relaxar"

Divulgação


São Bento do Sul

Durante a reunião desta quinta-feira (24) do Comitê de Crise da Covid-19, em São Bento do Sul, os números quanto à evolução dos casos no município são mais otimistas se comparados aos da semana anterior. No entanto, ainda não é momento para relaxar, especialmente porque a avaliação feita é que esta situação pouco mais branda é justamente reflexo da atuação de toda sociedade no enfrentamento à pandemia.


Aliado a isso, a campanha de vacinação tem contribuído na estabilização de novos casos especialmente entre as faixas etárias já imunizadas, como é o caso das pessoas acima de 60 anos. Há semanas nota-se redução nos casos de Covid e também nas notificações de sintomas gripais. Conforme a secretária de Saúde, Carmen Binotto, o governo estadual comunicou que até sábado, outras 2.413 doses serão enviadas a São Bento do Sul, garantindo com isso a continuidade da vacinação.


Carmen ainda destacou que a partir do dia 30 serão intensificadas as campanhas para aplicação da segunda dose na população. O mutirão terá como objetivo destacar às pessoas a importância de completar o esquema vacinal. Em relação aos pacientes para aplicação da primeira dose, a expectativa da Secretaria de Saúde é que junho encerre com as pessoas acima de 46 anos de idade sendo imunizadas.


Ainda conforme o balanço da Secretaria de Saúde, de primeiro de junho até o dia 25, quarta-feira, 2.620 pessoas foram atendidas nos dois centros de Covid de São Bento do Sul (Vila 1º de Maio e bairro Serra Alta). Porém, Carmen lamenta o pedido de exoneração feito por uma das médicas que atuava na central da 1º de Maio. “O cansaço vai batendo nas equipes”, lamentou, mas lembrou que a Prefeitura já iniciou processo para contratação de novos profissionais.


Monitoramento – A médica Andréa Duvoisin, responsável pela Central de Monitoramento, apresentou novos números da situação da pandemia. Os dados da semana epidemiológica que vai de 13 a 19 de junho mostram que 800 pessoas buscaram atendimento nas centrais de Covid do município neste período. Na semana anterior, de 6 a 12 de junho, foram 912. Esse número maior está diretamente ligado ainda ao feriado de Corpus Christi.


Em monitoramento na semana de 13 a 19 foram 685 pacientes, enquanto que na semana anterior eram 911. O número de casos suspeitos também recuou um pouco, caindo de 625 para 594, assim como houve redução nos casos confirmados, estes numa proporção muito maior: de 286 para 101 na última semana. As mortes também caíram de 10 para 8. Os números também mostram leve queda nos internamentos, porém, o número de casos ainda segue alto. “Não podemos ficar tranquilos não”, alertou Andréa.


No Hospital e Maternidade Sagrada Família a situação também segue preocupante, pois a taxa de ocupação da UTI permanece em 100%, com seis pacientes com Covid e quatro com outras patologias. Na enfermaria estão 23 pessoas confirmadas com Covid-19, dois com suspeita aguardando resultado de exame e 21 pacientes com outras doenças. Estamos praticamente lotados”, revelou o diretor geral do hospital, Oscar Junior.


Além disso, seguem altos os afastamentos de colaboradores da unidade. De acordo com o último balanço, eram 31, sendo cinco por casos de Covid em familiares e quatro por confirmação da doença. Há ainda cinco gestantes afastadas e três em licença maternidade. Os colaboradores em auxílio doença afastados são 14. “Situação que ainda é um problema”, disse o diretor.


Porém, o hospital também sentiu redução no número de atendimentos em sua emergência. Na segunda-feira foram 197 pessoas buscando auxílio na unidade, e na quarta-feira foram 148.


Testagem – A partir de segunda-feira o Sagrada Família também vai intensificar a testagem da população para coronavírus. O pedido foi feito pelo prefeito Antonio Tomazini na semana passada. Até então, somente pacientes internados com sintomas gripais são testados, mas com o novo formato, todos os pacientes em que o médico indicar necessidade serão submetidos aos testes. “Não vão ser testados todos que chegam no hospital, mas aqueles que passarem por uma triagem antes, levando em conta os sintomas”, explicou Oscar.


Fiscalização – Vigilância Sanitária e Polícia Civil também seguem com seu cronograma de fiscalização e a avaliação feita pela diretora do Centro de Vigilância à Saúde, Silvana Bianco Bauer, e pelo delegado regional, Odair Rogério Sobreira Xavier, é que em estabelecimentos constituídos os problemas são pequenos, pois os proprietários têm consciência da importância de manter as regras. A preocupação segue com os eventos clandestinos.


Em análise – Conforme o prefeito Antonio Tomazini, na próxima semana o comitê vai analisar a possibilidade quanto à liberação de esportes recreativos, como o futebol, assim como da música ao vivo em estabelecimentos e em relação à etapa do campeonato catarinense de automobilismo. “Em se mantendo estes números otimistas na próxima semana, podemos tratar destas questões”, disse.

"Por isso é bom que a população siga fazendo sua parte, pois assim a gente consegue pensar em novas liberações”, completou.


A partir dos próximos dias a Fundação Municipal de Desportos (FMD) vai entrar em contato com donos de quadras e campos esportivos para ir definindo alguns critérios a fim de garantir a liberação das atividades nos próximos dias.