• Cezar Miranda

Etcetera e tal...

De volta

E o Espeto resolveu me tirar da aposentadoria. Ontem praticamente me intimou a voltar a escrever a coluna para publicação no blog e também no jornal. Vamos ver se nestes três meses morando na praia, o salitre não enferrujou meus dedos.


Se foi

Não chegou a ser nenhuma novidade a saída de Jairson Sabino da secretaria de Obras. Desde o início da gestão ele vinha em rota de colisão com o prefeito Antonio Tomazini e o restante da equipe de governo.


Bem atentos

É bom ficarem bem atentos ao que Sabino irá falar no microfone da Câmara. No pouco mais de um ano como integrante da equipe do governo Tomazini, viu e ouviu muita coisa que poderá servir de munição para a sua metralhadora.

De saída

Ou Sabino deixa o PSDB ou o PSDB deixa o Sabino. Não há mais convívio entre a sigla e o vereador. Como existe a tal ‘janela de desfiliação’ para não perder o mandato, e ela só irá se abrir em 2024, o mais provável é que os tucanos o coloquem porta afora. Ficará bom pra ambos.


Mais brando

O Ministério Público aliviou um pouco a barra de Márcio Dreveck e limpou a de Paulo Zwieka. Agora é o Juiz quem definirá o destino de ambos. Mas quem entende do assunto diz que é pouco provável que o parecer do MP não seja acatado.


Em pé de guerra

O MDB estadual está igual a ‘Casa da Mãe Joana’. A bancada estadual achou o caminho do cofre do governo Carlos Moisés e não quer arredar o pé de lá. Antídio Lunelli e boa parte dos presidentes municipais da sigla querem uma candidatura 'raiz'. E nessa queda de braço, só haverá um perdedor: O MDB.


Na dele

O até bem pouco tempo ‘patinho feio’, Carlos Moisés virou um ‘cisne’ rapidamente. Bastou dar a chave de alguns cofres para deputados e comandantes de partidos. E com isto vai se consolidando com um nome bastante forte para a disputa à reeleição.


Ainda não

Luciano Hang ainda não fala abertamente se vai ou não entrar na disputa eleitoral. Pelo jeito, vai deixar para anunciar sua decisão no final do prazo para filiação, 6 meses antes das eleições. A torcida de dez em cada dez políticos profissionais é para que ele diga “não”.


Lá fora

O presidente Jair Bolsonaro está na Rússia. E a turma da oposição critica violentamente a viagem, Ocorre que FHC, Lula, Dilma e Temer também estiveram lá beijando a mão do chefão do Kremlin. Na época eles podiam e agora não mais? Gente estranha esses apaixonados por ladrão.