• Vilmar Bueno, o ESPETO

Ciranda Política

Sindicato

Muito triste saber que a ex-presidente Adriana Zanella e sua diretoria ter apagado todos os dados e sistemas dos computadores do Sindicato dos Servidores Públicos. A pergunta que fica é a seguinte, o que tinha nesses computadores que ninguém podia ver.


Sindicato II

Sem falar que todos os sistemas foram pagos com o dinheiro dos servidores e pertencia a eles. Isso terá que ser investigado pela polícia. Adriana e sua equipe terão que dar explicações. Para isso o novo presidente Edemilson Assis já registrou o fato. Adriana ainda não deu nenhuma explicação, muito menos compareceu na posse de Edmilson. Com isso sua moral e carreira no serviço público, no mínimo está sendo contestada. A não ser que exista uma explicação para tudo isso.


Sindicado III

Edemilson informou que até segunda-feira o servidor já poderá contar com os serviços da entidade, garantiu o presidente.


Sindicato IV

Com certeza o vereador e hoje prefeito interino, Peter Kneubuehler, que também é servidor e fazia parte da diretoria, tem o dever de se manifestar sobre essa situação.


Expectativa

Em Campo Alegre é grande a expectativa para saber se o PSD de Rubens Blaszkowski o DEM dos vereadores Josnei Cchaloupeck e Raul Johanson e o PP do vice Sebastião Kons, sentem e resolvam e reafirmem a coligação vitoriosa nos dois últimos mandatos. Pois se divididos o MDB terá mais chance de retornar ao comando do município. E com isso perdem todos.


Bastidores

Nos bastidores em Rio Negrinho, nota-se que pelo menos dois vereadores que chegaram ao poder com a força e votos do prefeito Julio Ronconi, agora já acreditam que podem sair de voo solo. Mas muitos acham que nem conseguem sair do chão.


Aval

Perguntei ao vereador Fernando Mallon, se Luiza Mallon poderia ser candidata a vice de Ismar Becker. A resposta foi mais ou menos assim: “Ela é de maior e já pode decidir”. Mas nos bastidores corre que Fernando prefere que concorra a vereadora.


Mais que na hora...

De se fazer uma nova pesquisa eleitoral com os nomes de Ismar Becker, Tomazini e Magno.

Os fatos em Brasília

O presidente Jair Bolsonaro disse hoje pela manhã, que a possibilidade de desmembrar o Ministério da Justiça, comandado pelo ministro Sergio Moro, está descartada. De acordo com Bolsonaro, a chance no momento é zero, mas não se sabe sobre amanhã, uma vez que “na política tudo muda”. “A chance no momento é zero. Tá bom ou não? Tá bom, né? Não sei amanhã. Na política, tudo muda, mas não há essa intenção de dividir [o Ministério da Justiça]. Não há essa intenção”, disse Bolsonaro. Resumindo, se isso acontece Moro sai fora.


Reprovado

O governador Carlos Moisés – PSL, no seu primeiro ano de aprendizado sobre política, foi reprovado com louvor.