• Vilmar Bueno, o ESPETO

Ciranda Política

Os vices

Os nomes que estão na espera para possivelmente compor de vice. Entre eles Cezar Celeski (sem partido) do PSDB de Tomazini, Luiza Mallon - MDB para compor com o empresário Ismar Becker (sem partido), já no PP são pelo menos quatro nomes, para compor com Magno Bollmann, entre eles os vereadores Peti e Marco Redlich, o secretário de planejamento, Luiz Claudio Schuves e a secretária de educação, Rosemary Cândido. Já os demais partidos, PSD, PT e PSB, ainda não anunciaram vice, muito menos candidatos a prefeito. No caso do PDT o nome deve ser Lourival Castilho, o vice poder ser Walmir Forteski.


Bastidores

Notícias de bastidores dão conta que continuam quentes as coisas no ninho tucano, um dos bicudos não concordam com o andar da carruagem, e poderá voar para outra árvore.


Bastidores II

Já no paraíso da serra, se acaso o vereador Josnei Charoupeck não aceitar ser vice do atual vice, Sebastião Kons – PP, a opção é do professor Ernani dos Santos. No caso do PSL do empresário Willian Sabino, a sua equipe continua firme no propósito de concorrer em 2020.


Bastidores III

Em Rio Negrinho crescem as apostas na dupla Abel Hack – MDB e Ronei Lovemberger – PSD. Mas por enquanto é tudo especulação.


Positivo

Ontem os prefeitos de São Bento do Sul, Peti e Rubens Blaszkowski de Campo Alegre, assinaram um termo para criação de uma ouvidoria especializada para receber denúncias de abuso infantil.


Mais obras

O prefeito de Campo Alegre assinou ontem o contrato de reforma e ampliação do Centro Municipal de Educação Infantil Alegre Infância. Vamos investir mais de R$ 500 mil na obra, sendo utilizados recursos próprios, para oferecer um espaço de qualidade para nossos alunos. “É com gratidão que assinamos mais esta conquista para nossa população. Sabemos que Educação é parte fundamental no desenvolvimento das pessoas, por isso, é prioridade de nossa administração”, ressalta.


Contra

Dos deputados catarinenses, apenas três foram contrários, votando pela manutenção dos R$ 2 bilhões: Angela Amin, Pedro Uczai e Ricardo Guidi. A proposta do NOVO era cortar para R$ 1,3 bilhõe. Caroline De Toni, estranhamente, não votou. Ao fim e ao cabo, os políticos seguem tirando dinheiro público de áreas fundamentais e sucateadas para sustentar esta verdadeira farra a cada dois anos.


Apoio

Durante audiência com o ministro da Justiça e Segurança Pública, Sérgio Moro, o senador Jorginho Melo (PL) recebeu apelo para ajudar no Senado à manutenção dos vetos do presidente Jair Bolsonaro ao pacote anticrime. As medidas propostas pelo ministro foram alteradas e aprovadas pelo Congresso. O ministro Moro busca, com de Bolsonaro, vetar algumas delas.


Impostômetro

O Impostômetro, da Associação Comercial de São Paulo (ACSP), chegou, nessa terça-feira (17), à marca R$ 2,4 trilhões de impostos pagos pelos brasileiros em 2019. No ano passado, considerando até o último dia do ano, o valor pago em tributos somou R$ 2,3 trilhões.