top of page
  • Foto do escritorVilmar Bueno, o ESPETO

Ciranda Política

Visita A vereadora Carla Hofmann – PSD, recebe amanhã a vice na chapa de Jorginho Mello – PL, Mariliza Boehm. Na pauta uma visita no Hospital Sagrada Família e logo após encontro com lideranças empresariais e políticas. Uma boa hora para que a vice se comprometa com pleitos da cidade e da região. Resultado Considerado positivo a viagem do prefeito Tomazini a Brasília. Mas ele e o Josias, de fato mesmo, foram saber de perto se os R$ 4 milhões prometidos para o tal Crechão vai mesmo cair na conta ainda este ano. Ressaltando, que o Crechão foi solicitado através da vereadora Carla Hofmann - PSD, através do deputado Darci de Matos - PSD. Resultado II Tomazini também confirmou a liberação de recursos para construção de um novo posto de saúde no bairro 25 de julho. "Foi cansativo, mas os resultados obtidos são extremamente positivos e gratificantes", destacou o prefeito. Agora é esperar para conferir na conta, até o dia 31 de dezembro. Corte radical A ação do eleitor que concentrou votos em partidos maiores – especialmente o PL de Jair Bolsonaro e o PT de Lula – foi combinada com a legislação, que deu fim às coligações entre partidos e impôs uma cláusula de barreira mais alta para as legendas. Corte radical II Assim, apenas 14 dos 32 partidos registrados no Tribunal Superior Eleitoral (TSE) terão direito a recursos públicos e funcionamento pleno nos parlamentos a partir do ano que vem. A reação a esses dois movimentos é uma provável onda de fusões em que partidos pequenos buscarão a sobrevivência e legendas maiores tentarão se agrupar para fazer frente às maiores bancadas. Fusão E o resultado de tudo isso, deve vir por aí uma reviravolta na política catarinense, especialmente na correlação de forças na Assembleia Legislativa, através de fusão entre os partidos pequenos e sem expressão. Como deve acontecer com o PTB que deve se juntar ao Patriota e o PSC. Fusão II Seria a possível junção poderá reunir o MDB, Podemos e a Federação que que reúne PSDB e Cidadania. Os emedebistas elegeram 42 deputados federais, quinta maior bancada. Os tucanos saíram fragilizados das urnas, elegendo 18 parlamentares em conjunto com o Cidadania, enquanto o Podemos ficou quase no limite da cláusula de barreira, com 12 deputados federais. Juntos, ganhariam a robustez de uma bancada de 72 parlamentares e peso maior nas discussões – além de aliviar o desgaste eleitoral de MDB e PSDB.

bottom of page