• Vilmar Bueno, o ESPETO

Ciranda Política

Alfinetada

O presidente da Tuper, Frank Bollmann – PP, aproveitou o evento ocorrido ontem da Academia do Conhecimento, evento concorrido ontem na Sociedade Guarani, para lembrar do prejuízo de R$ 200 milhões, que teve quando o PT comandava o país. Só promessa do tal pré-sal. “Estamos em casa, mas quero lembrar daquela mão com nove dedos”, se referindo a Lula.


Preocupação

O diretor de educação e tecnologia da FIESC, Fabrizio Machado Pereira, durante a palestra - “A Indústria pela Educação”, manifestou sua preocupação sobre a baixa procura por cursos técnicos de jovens em Santa Catarina.


Meio ambiente e preservação

Durante o pré-lançamento do livro – Consórcio Quiriri – De gota em gota, um rio de esperança, escrito por Magno Bollmann, que aconteceu durante o evento da Tuper, o autor falou dos resultados positivos na mata atlântica, que envolve os municípios membros do consórcio – São Bento do Sul, Rio Negrinho, Campo Alegre e Corupá.



Presenças

O deputado Silvio Dreveck – PP, e o vice-prefeito Dr. Tirso – PSDB, que prestigiaram o evento da Tuper, aproveitaram para conversar com Frank Bollmann. Na pauta, projetos para a cidade.


A política

Da boa vizinhança dos vereadores do UB, Paulo Ziwiefka e Hélio Alves, cada dia fica mais evidente com a gestão de Tomazini e Tirso. Claro que nessa política não pode ser incluído Ismar Becker, que hoje também está no UB, já que ele tem tecido duras críticas a Tomazini.


Inclusive

O vereador Hélio Alves, já foi cotado para assumir a secretaria de obras no governo de Tomazini. E num tempo não muito longo, quando Ismar estava no PSD, não concordava com a aproximação da vereadora Carla Hofmann – PDS, e do apoio dela a Tomazini. Tanto é que Ismar deixou o PSD.


E se por acaso

O apoio do UB (leia-se Zwiefka e Hélio), for mais do que tapinhas nas costas e fotos com o prefeito no gabinete e nas entregas de obras – Ismar também poderá sair do UB. O tempo dirá!


MDB rachado

Mais de 80 prefeitos, duas ou três dezenas de vices, os noves deputados estaduais do MDB, dois ex-governadores, Paulo Afonso Vieira e Eduardo Moreira, entre outras lideranças, marcaram presença num jantar esta semana no palácio residencial. Todos fechadíssimos com Moisés da Silva. De alguma maneira, esse grupo expressivo está tentando criar um fato consumado, no sentido do alinhamento do partido à reeleição do governador.

MDB rachado II Agora, esse fato consumado, muito embora a mobilização tenha sido representativa, carece de amparo legal. Por isso que os defensores do apoio a Moisés encaminharam ao deputado Celso Maldaner, presidente estadual do Manda Brasa, uma carta pedindo a convocação da executiva estadual. Eles já teriam a maioria no colegiado interno para tentar impor ao partido o respaldo ao governador que vai à reeleição.