• Vilmar Bueno, o ESPETO

Ciranda Política

Não entendo Ele falou e os vereadores ouviram, e foi só. Foi assim a passagem do diretor da Fundação Cultural, Ademir Weiss. Resumindo, ele falou sobre a gincana, que foi um fiasco, e disse que este não vai realizar. Tomara que a Cruz recolocada no Parque 23 de Setembro, possa iluminar esse governo!

Não entendo II Na realidade, não entendo o porquê, que convocam secretários e diretores, para irem até a Câmara. Durante as sessões, os bravos vereadores descem a lenha neles, mas quando estão frente a frente, ficam todos calmos e amarelam. Negócio sem graça e perda de tempo!

Blá-blá-blá Outra coisa são os discursos exaltados dos vereadores de São Bento do Sul, contra o governo do estado, cobrando mais segurança na SC-418, principalmente no acesso do Alpestre, além de outros pontos críticos. Se os vereadores não conseguem fazer que as obras da Dona Francisca, que é do município saia do papel, imagina obras de responsabilidade do governo do estado ou do governo federal. Tenha dó! Aprovados Os vereadores de São Bento do Sul aprovaram ontem três projetos de leis, que autorizam a prefeitura a repassar recursos para o hospital, Apae e Secretaria de Desenvolvimento Econômico e Turismo.

Aprovados II O primeiro foi uma emenda no orçamento do município, com base em ingresso de Convênio, no valor de R$ 157,5, à Secretaria de Turismo.

Aprovados III Já segundo, foi um repasse no valor de R$ 150 mil, por intermédio do Fundo Municipal de Saúde, e a Sociedade Padre Eduardo Michelis / Hospital e Maternidade Sagrada Família, para destinação exclusiva na aquisição de equipamentos para cirurgias vídeolaparoscópicas.

Aprovados IV E por último um repasse a Associação de Pais e Amigos dos Excepcionais – APAE de São Bento do Sul no valor de R$150 mil, para a destinação exclusiva de reforma nos banheiros da sede da entidade.

Críticas O deputado estadual Ivan Naatz, do PL, gravou o vídeo abaixo em um posto de combustíveis. Questiona a altíssima carga tributária que está sufocando a economia catarinense (quase um terço do preço da gasolina e do Diesel vai para o Estado via ICMS) e acusa o governador de estar usando o dinheiro dos impostos para fazer politicagem através do Plano 1000. Moisés da Silva é candidato à reeleição. Ivan Naatz também. Com o detalhe de que está filiado ao PL e é muito próximo do senador Jorginho Mello, candidatíssimo ao governo neste ano.

Críticas II Outro deputado, Laércio Schuster – Podemos, que não tem poupado críticas ao governador Carlos Moisés – Republicanos, dizendo em alto e bom som, que esse tal Plano 1000, “é um estelionato eleitoral”. Sem falar das críticas recebidas por o governador ter utilizado o avião do Corpo de Bombeiros, para ir à Brasília, para se filiar no Republicanos.