• Vilmar Bueno, o ESPETO

Ciranda Política

Halloween

Aproveitando a chegada do dia das bruxas, decidi virar um bruxo, ou vampiro, sei lá...com os descasos nos comandos de alguns municípios...


Pastores

Só foi os pastores se reunirem e juntar suas forças e divinas indignações, contra o caos no hospital e na saúde em geral, em São Bento do Sul, que o prefeito Dr. Tomazini, levantou da sua majestosa cadeira no andar superior da sede da prefeitura, desceu pela “bat caverna”, e deu uma caminhada de uma quadra até o hospital, e acertou a contratação de mais um médico para o pronto socorro.


Pastores II

Isso deveria ser feito também pelos senhores vereadores, unir suas forças e ‘poder’ que vieram do povo que os elegeu e também, esquecer suas diferenças e trabalhar em prol do bem comum. Ou então que chamem os pastores.


Mas

Ao invés disso, na sessão de ontem, os ilustres vereadores, que disseram que a partir dessa nova legislatura, iriam trabalhar sem cores partidárias e em favor da cidade, esqueceram dessas promessas. E durante mais de uma hora ficaram se acusando mutuamente, sobre de quem é a culpa, pelo motivo do tal Raio X encaixotado ainda não estar funcionando. Meu Deus, chamem os pastores.


E a cidade

Continua feia, inclusive já reconhecida pelo próprio prefeito Tomazini, mas cadê os jardins e meio fios pintados, faixas de pedestres e outros logradouros revitalizados. As ruas todas esburacadas. E o final do ano está aí para nós receber os turistas. Meu Deus, chamem os pastores.


Ainda sobre

Os turistas e aos menos avisados, vai um recado - ao dirigir pelo nosso centro, cuidado, não olhe para o lado para ver nosso patrimônio arquitetônico e histórico, pois pode levar uma multa. E se então passar pela nossa majestosa e linda matriz, se olhar para fora e ainda olhar para cima, acredito que serão duas multas. Meu Deus, chamem os pastores.


Ontem

Constatei em poucos minutos em frente da prefeitura, na Jorge Lacerda, vários carros oficiais da prefeitura circulando, e na maioria das vezes, com apenas uma pessoa, o próprio motorista. Será que estavam levando alguma papelada, ou convites para reuniões, de algum conselho, ou sei lá o que. Ou a prefeitura vendeu todos os computadores, ou está proibido usar e-mails, whatsapp ou o celular. Meu Deus, chamem os pastores.


Enquanto

Isso, alguns servidores da secretaria de obras, continuam circulando empilhados naquela kombi velha, levando junto, ferramentas, máquinas de cortar grama, combustível e sei lá mais o que. Isso é desumano. Meu Deus, chamem os pastores.


É triste

Ver todos os dias pessoas receberem o tal aviso de irregularidades, dos agentes de trânsito, quando necessitam, por exemplo, estacionar no Centro Administrativo, na Benjamim Constant, para pegar um encaminhamento para emprego no Sine. E se não pagarem os R$ 14, em sete dias, vira uma multa de mais de R$ 180. Para quem já está desempregado, é o fim dos trocados. Meu Deus, chamem os pastores.


Tenha dó

Pois aquele local é público, e foi comprado com o dinheiro do imposto do próprio cidadão, quando o Magno comprou aqueles escombros da antiga Móveis Leopoldo, para ajudar a “companheirada”, que estavam atolados em dívidas com impostos do governo federal. E foi com a aprovação da Câmara, menos os votos contra dos então vereadores, Adriane Ruzanowsky, Lírio Volpi e Luiz Sieves, todos do MDB. Meus Deus, chamem os pastores. Ou que os vereadores, revoguem essa cobrança.


Preocupação

A Federação das Indústrias (FIESC) manifesta preocupação com as consequências de uma possível paralisação dos caminhoneiros, conforme tem sido veiculado na mídia. “Sem fazer juízo sobre a legitimidade dos pleitos apresentados, entendemos que o momento não é apropriado. A exemplo do que ocorreu em 2018, se concretizado, o movimento trará efeitos graves para toda a sociedade, que ainda sofre as consequências da pandemia”, afirma o presidente da FIESC, Mario Cezar de Aguiar.