BLOG DO ESPETO - PRETO.png
  • Vilmar Bueno, o ESPETO

Ciranda Política

Situação de saúde

Relatar o que eu e minha esposa passamos no pronto socorro do Hospital Sagrada Família. Meu filho, teve uma virose muito forte na quinta-feira, e à noite piorou vomitando muito, e logo a pressão baixou e ele ficou muito mal, tendo seus nervos atrofiados, como se estivesse com câimbras e perdeu os sentidos.


Situação de saúde II

Pois então, às 23 horas, levamos ele no Pronto Socorro, e após fazer o cadastro, ele novamente piorou e estava muito mal, e não conseguia mais sentar, e para não por ele no chão, pedi uma maca ou coisa parecida, mas a resposta dos atendentes, que emergência seria somente e caso de morte.


Situação de saúde III

Após eu ter que dar uns gritos e implorar que o colocassem em uma cama, até que um médico pudesse atendê-lo, uma atendente, por grandeza de alma abriu a porta, e com ajuda de outros pacientes conseguimos levá-lo até uma cama.


Situação de saúde IV

E depois de uma hora se retorcendo de dores, ele foi atendido, recebendo os medicamentos. Melhorou um pouco e recebeu ‘alta’, mas sem nenhuma recomendação e ou receita para continuar o tratamento. Já na manhã, ele voltou a vomitar e passar muito mal, aí recorri a um médico que receitou tomar uma injeção que parasse os vômitos, para então tomar um antibiótico e medicamento para recompor a flora intestinal. O que em duas para de vomitar e conseguiu engolir os medicamentos.


Situação de saúde V

Resumindo, não há que aqui acusar nem o prefeito, nem o vice que são médicos, muito menos os atendentes, que seguem o “protocolo”. Sem falar que o hospital, mesmo sendo filantrópico, tem que dar lucro. E também lembrar que essas cobranças também já fiz ao ex-secretário Dr. Manuel Del Olmo, e ele sempre respondeu que a secretaria não tem gerência na administração do hospital. Portanto, que a atual gestão apresse a construção da UPA, para que pacientes não esperem uma eternidade para serem atendidos no hospital, e que se não conseguem contratar médicos para os postos de saúde, que encontrem uma maneira legal de terceirizar os atendimentos.


Situação de saúde VI

Mas sim cobrar, ao prefeito, vice, vereadores, entidades civis, conselho de saúde, ministério público e clubes de serviços, que tentem encontrar uma solução. Pois na mesma noite, escutei e presenciei mães que estavam com os filhos no colo, com febre, esperando por mais de seis horas por um atendimento. E pior, naquelas cadeiras duras e sem nenhum conforto. Lembrando ainda, que o hospital recebe dinheiro federal, estadual e municipal.


Ainda falando em saúde

Achei louvável a atitude da secretária de saúde, Carmen Binotto, em ter enviado um convite ao ex-secretário Dr. Manuel Del Olmo, para a inauguração do funcionamento do Raio X, que ficou dentro de uma caixa há mais de 08 anos.


E mais louvável

A secretária reconheceu os entraves e a burocracia que Dr. Manuel enfrentou enquanto também tentava fazer com que o aparelho fosse colocado em funcionamento. E foram muitos entraves, primeiro era para ser instalado no hospital, mas não podia por que só poderia atender paciente do SUS, depois na antiga sala a Mutimagem, também não foi possível, depois para o prédio do INSS, mas como era do governo, não podia, mas depois a justiça determinou que o prédio retornasse para o município, então, agora podia, mas não antes de reformar uma sala e instalar uma central elétrica, e por fim, a vigilância do estado, levou pelo menos mais 4 anos para autorizar. Ufaaaaaaaaaaa.


Então

Que o vereador Magrão, não venha fazer politicagem, dizendo que “o nosso governo em apenas oito meses instalou o Raio X”.


Indignados

A repercussão da “ajuda humanitária” que o prefeito Tomazini deu à empresa Rainha, concedendo R$ 50 mil por três meses, está tendo uma indignação geral da comunidade.


E hoje para finalizar

Quero dar um ótimo com estrelinha, para a coluna – Panorama Político, do Jornal A Gazeta, mas eu ainda me atreveria acrescentar no final – a frase – “A política é nojenta”.