• Vilmar Bueno, o ESPETO

CIRANDA POLÍTICA

Professores ACTs Notícias de bastidores dão conta que o Projeto de Lei enviado à Câmara, pelo prefeito de São Bento do Sul, Antonio Tomazini, e que dispõe sobre as regras para a contratação de professores Admitidos em Caráter Temporário – ACTs, poderá ter problemas na tramitação, principalmente devido ao aumento de despesas, além de outros benefícios, em ano de pandemia. Vem polêmica por aí!

Reajuste Já está nas mãos dos vereadores o projeto de Lei que irá reajustar os salários dos servidores de São Bento do Sul em 4,56%. Sem reajuste em 2020, os servidores finalmente terão os salários melhorados após quase 2 anos. Caso aprovado na Câmara, o reajuste será concedido a partir de 1⁰ de fevereiro.

Reajuste II De acordo com o assessor jurídico, Patrick Vicente, a Prefeitura ainda estuda a forma para fazer a reposição do índice não concedido no ano passado, em decorrência da pandemia. Essa é a esperança dos servidores.

In loco Os vereadores estiveram visitando a secretaria de obras, hoje comandada pelo vereador licenciado, Jairso Sabino – PSDB. E puderam ver de perto que o local é insalubre e sem as mínimas condições de habitação e uso. Como já tinha enfatizado o vice Dr. Tirso, “e desumano com os servidores”. In loco II Sabino aproveitou a visita para expor ideias que visam melhorar continuamente os serviços prestados à população, como por exemplo compra de novos maquinários, modificações na estrutura “Pagamos R$ 16 mil por mês de aluguel. Isso em um ano dá quase R$ 200 mil.

In loco III Na oportunidade a presidente da Câmara, Carla Hofmann, também enfatizou “que a fiscalização por parte da Câmara será constante e que será feito o possível para evitar a grande quantidade de indicações para patrolamento e saibro nas vias municipais”. É esperar para conferir!

Sem folia! A Prefeitura de São Bento do Sul informou que não haverá ponto facultativo nos dias 15 e 16 de fevereiro (segunda e terça-feira), datas do Carnaval. Portanto, o expediente será normal em todas as repartições públicas municipais. As prefeituras de Rio Negrinho e Campo Alegre, também não haverá o feriado.

Prestando contas Equipes da Associação de Municípios do Nordeste de Santa Catarina (Amunesc), da qual Rio Negrinho faz parte, estiveram nesta quarta-feira realizando uma apresentação dos trabalhos da entidade para com a cidade. A reunião ocorreu no plenário da Câmara de Vereadores com a presença dos parlamentares, do prefeito Caio Treml, secretários e imprensa.

Prestando contas II O prefeito Caio, que é 2º vice-presidente da associação, agradeceu a presença da equipe técnica para explanação dos trabalhos. “A Amunesc somou muito para Rio Negrinho nos últimos anos. Esses projetos que estão saindo pela cidade vêm deles”, disse. “Sabemos o que a nossa associação faz pelas cidades, mas havia uma dificuldade muito grande do que era feito para chegar até a comunidade. Isso é um ganho muito grande para o município e justifica sim o que o município gasta com a associação”, completou Rodrigo Adriany David, presidente da Amunesc e prefeito de Garuva.

Macrodrenagem O vereador de Rio Negrinho, Rodrigo dos Santos (Dido) fez um requerimento pedindo ao poder executivo, informações sobre o projeto de macrodrenagem do rio, tendo em vista obtermos informações referentes ao projeto, resultados dos estudos, atitudes que estão sendo tomadas e informações de quanto foi gasto com esse programa até o momento.

Macrodrenagem II Salientou que é necessário esse requerimento, pois enfrentamos agora em janeiro muita chuva e o rio deu um susto novamente, ficamos todos apreensivos com a situação. As informações foram rápidas e corretas, a defesa civil está de parabéns pelo trabalho. Os problemas com as cheias são recorrentes e precisamos saber o que está sendo feito, o que foi feito e quando vai ser feito, por que amanhã ou depois vem às chuvas e precisamos estar preparados.

Improbidade A 1ª Câmara de Direito Público do Tribunal de Justiça de Santa Catarina (TJSC) determinou a indisponibilidade de bens de um grupo de 12 pessoas e de mais duas empresas investigadas por atos de improbidade administrativa relativos a um contrato celebrado entre a Celesc e uma empresa de serviços de cobrança. O montante a ser alcançado pela indisponibilidade é de R$ 316,5 milhões, valor atualizado da causa. Entre os envolvidos estão agentes públicos e empresários. Destaque para os nomes do ex-governador Eduardo Moreira e do ex-deputado Miguel Ximenes.

Improbidade II Veja a relação dos nomes envolvidos, liderado pelo ex-governador Eduardo Pinho Moreira, Carlos Rodolfo Schneider, José Afonso da Silva Jardim, Gerson Pedro Berti, Eduardo Carvalho Sitonio, Miguel Ximenes de Melo Filho, Octávio Acácio Rosa, Arnaldo Venício de Souza, Marcelo Gasparino da Silva, Carlos Alberto Martins, Sérgio Rodrigues Alves, Monreal Corporação Nacional de Serviços Cobrança S/C Ltda, Francisco Eider de Figueiredo, Dogma Consultoria e Marketing Ltda e Claudio Sebastião de Oliveira