BLOG DO ESPETO - PRETO.png
  • Vilmar Bueno, o ESPETO

Ciranda Política

Outro nível

Enquanto o empresário e pré do PSD Ismar Becker, recebeu a visita ilustre do ex-governador Raimundo Colombo, um outro pré recebeu o oficial de justiça, para se explicar junto ao Ministério Público.


Outro nível II

Colombo veio falar da atual situação da pandemia, e as ocorrências em Brasília e em Florianópolis. Tem muita experiências como deputado federal, senador e governador.


Outro nível III

Hoje o pré Ismar Becker, estará ao meio dia na Liberdade FM, no programa do Jairson Sabino, falando sobre a polêmica das UTIs e outros assunto do Hospital Sagrada Família.


Outro nível IV

Enquanto isso outros pré-candidatos, como o vereador Edimar Salomon – PROS, Nivaldo Bogo – Podemos, Gilmar Pollum – PL, continuam preocupados em montar seus planos de governo, já uns e outros, procurando advogados para se defenderem.


Pavimentação

O prefeito de Rio Negrinho anunciou ontem, que após três anos de inda e vindas junto ao Governo Federal, finalmente foi assinado, na tarde desta segunda-feira, dia 15, o contrato de financiamento do Avançar Cidades junto à Caixa Econômica Federal. Ao todo, serão pavimentadas 20 ruas onde passa o transporte coletivo, com investimentos de R$ 8,5 milhões.


Pico

Autoridades de saúde e parlamentares catarinenses, alertam que o pico da pandemia ainda não chegou no estado. E pior, os leitos de UTIs ainda são poucos em várias regiões.


Jagunço!

“Não há mais a menor condição de Abraham Weintraub continuar ministro de Estado do Brasil. Esse jagunço do bolsonarismo, que parece ter a ambição de superar o chefe nos modos e nos métodos, envergonha a democracia nacional e seguirá arruinando o futuro de uma geração de jovens enquanto estiver no Ministério da Educação”. Concordo.


Bandidagem

O juiz responsável pela Lava Jato no Paraná, Luiz Antonio Bonat, aceitou denúncia e tornou réus os ex-senadores do MDB Romero Jucá e Valdir Raupp. Também foram denunciados Luiz Fernando Maramaldo, Fernando Reis, Nelson Maramaldo e Sergio Machado por corrupção e lavagem de dinheiro em contratos entre a Transpetro, subsidiária da Petrobras, e as empresas NM Engenharia e Odebrecht Ambiental.