• Vilmar Bueno, o ESPETO

Ciranda Política

Rebateu

Sobre a nota publicada ontem sobre o congelamento do reajuste dos servidores até 2021, o vereador e servidor público, Marco Redlich – PP, fez as seguintes constatações: Senão vejamos:

“Não faz sentido nenhum alegar que vai ser difícil para os vereadores do PP pedir votos para os servidores, já que a imposição de dois anos sem reajuste nada tem haver com os vereadores pois foi imposto pelo governo federal.”


Rebateu II

“Segundo que os servidores sabem muito bem que foram os governos do PP que valorizaram realmente os servidores, com a implantação do auxílio alimentação por exemplo e também o plano de cargos e salários.”


Rebateu III

“Na segunda nota, a fala do presidente do sindicato é vexatória, pois ele, quando secretário de administração do governo Tureck, fez uma lei que determina que a data base dos servidores teria que ser maio. Então não adiantaria nada a reunião há 15 dias se a data base é em maio.”


Rebateu IV

“Parece que o presidente do sindicato já esqueceu que ele fazia parte do governo que promoveu o fatídico reajuste de 1,21% em 2013, quando a inflação foi de quase 10%. Isso os servidores nunca esqueceram.”


Ainda sobre os servidores

A partir de agora foi reajusta de 11% para 14% a contribuição para o IPRESBS que vem descontado na folha de pagamento. E isso sem receber reajuste.


Galo de briga

O fundador do MDB Silvio Vieira, o galo, defende que o partido indique o vice para o Dr. Tomazini – PSDB. Não quer nem falar da dupla Adriane e Mallon. Resta saber se os tucanos aceitam. Mas isso é fácil de resolver e o diretório do MDB deve saber como votar. A pergunta é a seguinte, Adriane e Mallon tem a maioria no diretório.


PP/MDB

E seguem as reuniões entre líderes do MDB e do PP em Rio Negrinho. Leia-se Beto Albuquerque e Abel Schroeder. Sem falar que outros partidos estão alinhados também. Na última foto só faltou Mauro Mariani.


Falando em Mariani

Já começaram as conversas nos bastidores para que o ex-candidato a governador Mauro Mariani – MDB, volte as lides partidárias, pois em relação ao novo governo de Carlos Moisés, deu m......


Agora quer a cabeça

O antes líder do governador Carlos Moisés –PSL, deputado estadual Mauricio Eskudlark (PL), juntamente com a Deputada Ana Campagnolo, protocolam nesta terça-feira, o pedido de impeachment do Governador do Estado de Santa Catarina, Carlos Moisés da Silva (PSL). O pedido, embasado no Art.72 da Constituição Estadual, é devido ao pagamento antecipado da compra de 200 respiradores- com indícios de superfaturamento – e as irregularidades referentes à contratação do hospital de campanha, em Itajaí. A compra dos respiradores foi feita de uma empresa da baixada fluminense, no Rio de Janeiro.


Cobranças

O secretário de saúde, Dr. Manuel Del Olmo, tem cobrado do governo do estado, que libere a volta da realizações de exames e consultas nos postos de saúde. Pois um decreto estadual proíbe essa pratica. Se até o transporte coletivo deve voltar a funcionar, por que então, não se pode consultar.