• Vilmar Bueno, o ESPETO

Ciranda Política

Agora é 10

Depois da pressão da vice-governadora e dos deputados, o governador Carlos Moisés anunciou nesta quinta-feira, 16, o lançamento de um processo licitatório para a contratação de até 10 hospitais de campanha em Santa Catarina para ajudar no enfrentamento à pandemia de Covid-19. Segundo o chefe do Executivo estadual, as unidades hospitalares serão montadas conforme houver demanda. Sem falar que vai contratar leitos nos hospitais particulares. Aí sim bom senso e zelando o dinheiro do povo.

Curados!?

Notícia dá conta que diminuiu 50% a procura por consultas no Hospital Sagrada Família. Milagre da cura, ou aqueles que procuram o pronto atendimento para dor do bico de papagaio, dor de cabeça na coluna e atestados de saúde, resolveram pôr a mão na consciência.


Binário

A prefeitura criou um binário no Bairro Brasília. Alguns moradores dizem que não entenderam por quê. Eu ainda estou estudando o caso.


Hospital!?

O prefeito Magno Bollmann, promete construiu um Pronto Atendimento - PA no local onde ficava o antigo condomínio empresarial, o recurso foi viabilizado pelo então deputado Silvio Dreveck. Tudo bem. Mas nesse mandato o prazo não vai permitir. Talvez se ele se reeleger, consegue aparecer na placa de inauguração, além do PA como na transpão. Mas estamos na torcida.


Perguntar não ofende!

Cadê os defensores do governador Carlos Moisés, que continua apanhando dos deputados, da vice da FIESC, FCDL, e outras entidades. Vai ser dureza para os candidatos do PSL pedir voto para o comandante.


Números

Em Rio Negrinho o prefeito Julio Ronconi – PSDB, informou ontem “que felizmente fechou a quinta-feira sem casos suspeitos de coronavírus. Além de reduzirmos os casos monitorados para 31 pessoas, que estão sendo acompanhadas pelos nossas equipes de Saúde. Porém, é necessário seguirmos com as recomendações de limpeza das mãos e do uso de máscaras quando precisar sair de casa. Desta forma, evitamos que o vírus possa circular pela cidade”.


São Bento do Sul

Aqui a situação continua a mesma: - Casos Suspeitos: 05 - Casos Confirmados: 01 - Casos Descartados: 34 Casos de síndrome gripal: - Monitorados: 185 - Alta do monitoramento: 232. Em Campo Alegre, 01 suspeito, 09 monitorado e 07 alta.

Brasil Casos confirmados: 30,891 Casos ativos: 14,913 Casos recuperados: 14,026 Casos fatais: 1,952


Mundo Casos confirmados: 2,165,500 Casos ativos: 1,469,342 Casos recuperados: 550,453 Casos fatais: 145,705


Agradecimento

Em seu twitter, o ex-ministro Mandetta, disse: "Agradeço a toda a equipe que esteve comigo no MS e desejo êxito ao meu sucessor no cargo de ministro da Saúde. Rogo a Deus e a Nossa Senhora Aparecida que abençoem muito o nosso país", completou.


Desemprego

A crise de saúde provocada pela pandemia do novo coronavírus já custou 165 mil empregos na indústria de Santa Catarina e causou uma retração de R$ 3,4 bilhões na produção industrial, além da diminuição de R$ 3,1 bilhões nas vendas no mercado interno e R$ 327 milhões nas exportações industriais do Estado. Informou a FIESC.


Os erros no uso das máscaras

Um dos equívocos mais banais identificados pela especialista é deixar o nariz de fora da máscara ou ficar abaixando o equipamento de proteção na hora de falar.

— Quando eu falo, eu expilo gotículas de saliva. E se fico tirando elas (máscaras) para falar, tiro também a proteção.

É que, acima de qualquer coisa, a máscara é uma barreira mecânica para impedir que pessoas assintomáticas transmitam o vírus ao sair de casa. De nada adianta se não estiver na frente do nariz ou da boca.

Também é muito comum ver pessoas ajeitando a máscara, encostando na frente dela. Se existia alguma gotícula contaminada ali, agora está nas mãos daquela pessoa e ela pode transmití-las a outras superfícies ou coçar o próprio olho ou nariz sem lembrar de higienizar as mãos.


Caíram

Foi deferido pela Justiça o pedido do Ministério Público de Santa Catarina (MPSC) para o bloqueio de bens do Prefeito e do Vice-Prefeito de Irani, por terem realizado promoção pessoal com recursos públicos. O bloqueio foi no valor individual de R$ 10.937,50, o equivalente ao prejuízo causado aos cofres públicos mais a possível multa a ser aplicada em caso de condenação por ato de improbidade administrativa.

A ação por ato de improbidade administrativa com o pedido de bloqueio de bens foi ajuizada pela 4ª Promotoria de Justiça de Concórdia, depois que, no mês de dezembro de 2019, o Município de Irani custeou a publicação e distribuição de 3.500 exemplares de uma revista intitulada "Informe 2017/2019 - Prestação de Contas", contendo todos os investimentos realizados na gestão administrativa 2017-2019.