BLOG DO ESPETO - PRETO.png
  • Vilmar Bueno, o ESPETO

Campo Alegre completa 124 anos de emancipação


Campo Alegre


O município de Campo Alegre comemora neste 18 de março, 124 anos de emancipação política. Apesar do destaque por conta da Festa Estadual da Ovelha, criada justamente para celebrar o aniversário, o município tem muito mais a apresentar para sua população e visitantes.

Mas a cidade abriga bem no seu coração uma das mais belas cachoeiras da região, a Cascata Paraíso, a qual receberá mais investimentos nos próximos meses. Além do acesso pavimentado, bancos e floreiras, e agora também possui no local um deck e um centro de apoio aos turistas. Segundo dados do IBGE de 2020, sua população já era de 11 981 habitantes, sendo a centésima cidade mais populosa do estado.

Um novo segmento que vem crescendo muito é o turismo, principalmente em propriedades localizadas nas comunidades interioranas. Com passeios pelo Campos do Quiriri, balonismo e belas pousadas, e claro, a gastronomia com destaque para a carne de ovelha.

A produção agrícola é diversificada e cada vez mais forte no cultivo de alimentos orgânicos e produtos artesanais, muitos deles comercializados diretamente em algumas propriedades rurais. O roteiro turístico “Caminho dos Príncipes” também integra o município em um dos roteiros mais diversificados e atraentes de Santa Catarina.

Nos últimos anos o município recebeu muitos investimentos em infraestrutrura, saúde e na educação. A atual prefeita Alice Grosskopf, que tomou posse em 2021, também está focada em projetos que levem o paraíso da serra, cada vez mais um destino turístico muito mais atrativo, bem como, na qualidade de vida ao povo campo-alegrense.


Um pouco da sua história

Em 1851 as divisas das Províncias do Paraná e Santa Catarina ainda eram desconhecidas, o que causava muitas brigas e confusões. O Paraná considerava a divisa pelo Rio Negro, com sua nascente localizada no Quiriri, as mesmas divisas doadas à princesa Dona Francisca por seu irmão Dom Pedro II quando ela se casou com o príncipe de Joinville. Com a fundação da Colônia Dona Francisca criou-se a "Cia. Colonizadora de 1849" pelas mãos do então Senador Alemão, Christian Mathias Schroeder Schroeder, a qual contratou com o governo imperial a colonização das terras da Princesa por europeus.

No período de 1853 a 1857, engenheiros fizeram diversas explorações para uma melhor e mais fácil subida da serra, encontrando a melhor maneira pelo Vale do Rio Seco. Em 1858 por solicitação da Cia. Colonizadora, o governo imperial aprova a construção da estrada, que ligaria Joinville, São Miguel, Tijucas do Sul e Curitiba.

Quando a construção da estrada chegou onde hoje é a cidade de Campo Alegre, aqui já existiam alguns moradores, localizados ao lado do Salto Branco. No dia 23 de Agosto de 1827 o governo imperial começou a medição dos lotes coloniais e construiu o primeiro rancho de Campo Alegre, na hoje localidade de São Miguel, distante apenas 5 km do centro da cidade. A cidade foi nomeada de Froeliches Feld, que traduzido significa "Campo Alegre", nome recebido devido às belas paisagens naturais que existiam.


Em 1888 o povoado de Campo Alegre tornou-se distrito de São Bento do Sul, e aos 18 de março de 1897 conquistou sua emancipação política e administrativa.

A Serra Dona Francisca acabou transformando a povoação na rota obrigatória entre Santa Catarina e Paraná. Além da localização privilegiada, Campo Alegre ainda contava com a fartura da erva-mate. O brilho das décadas de ouro começou a desaparecer com a abertura de novas rotas e a decadência do plantio e exportação da erva.