top of page
  • Foto do escritorVilmar Bueno, o ESPETO

Campanha de combate ao câncer de próstata marca mês de novembro


São Bento do Sul

Novembro é marcado pelos mês Mundial de combate ao câncer de próstata, o segundo tipo mais comum de câncer entre os homens, ficando atrás somente do câncer de pele não melanoma. O objetivo da campanha é alertar sobre a importância do diagnóstico precoce do câncer de próstata, um tumor maligno que acontece na próstata. Quando ele inicia, muitas vezes é silencioso. O paciente pode ficar anos sem perceber nada e quando começar a ter sintomas, a doença já está avançada. Entre os principais fatores estão o histórico familiar, alimentação e sobrepeso. Além disso, maus hábitos podem influenciar, como o uso de tabaco e bebidas alcoólicas, sedentarismo e obesidade. O médico urologista do Centro de Especialidades Médicas (CEM), Daniel Coutinho, comenta sobre a alimentação. “Uma alimentação mais gordurosa ou que tenha maior quantidade de proteína animal pode aumentar o risco do câncer de próstata. A doença é um risco que todo homem corre, e com histórico familiar o risco dobra.” Entre os principais sintomas está a vontade de urinar frequentemente, sangue na urina e fluxo urinário fraco ou interrompido. Para diagnosticar, são realizados dois exames. O exame de sangue laboratorial, Antígeno Prostático Específico, mais conhecido como exame de PSA e o exame do toque retal, feito no consultório. “O ideal é que seja sempre realizado esses dois exames. É o conjunto dos dois que dá a segurança. Existem casos de câncer de próstata que o diagnóstico sai só pelo exame de toque, e às vezes acontece o inverso também. Os dois são necessários para essa parte preventiva”, explica o urologista. Ambos são feitos no Sistema Único de Saúde (SUS), que oferece informação e atendimento com equipes aptas a realizarem diagnóstico e acompanhamento. O exame de toque acontece durante a consulta, geralmente feita no CEM, com o urologista. Para ser encaminhado ao Centro de Especialidades Médicas, o paciente passa primeiro pelo posto de origem, onde é feita a triagem e o encaminhamento. Quando começar a fazer o exame preventivo? Começa a ser feito a partir dos 50 anos, com idas ao PSA uma vez por ano e o exame de toque. Homens com histórico familiar, cujo pai ou irmão que já foram diagnosticados com o câncer, o ideal é que comecem a prevenção com 45 anos. Medidas de prevenção: A principal medida preventiva é a consulta com o urologista, fazer e manter os exames em dia, controlar o peso e diminuir o tabagismo são fatores que ajudam também. "O exame do toque é extremamente rápido, dura segundos, e é um exame como qualquer outro", reforça Coutinho Tratamento: Na fase inicial, como um câncer localizado, o tratamento é cirúrgico: a prostatectomia radical ou a radioterapia são os procedimentos feitos. Ao ter um diagnóstico numa fase avançada, se consegue um bom controle mediante medicação. Assessoria de Imprensa Prefeitura de São Bento do Sul

bottom of page