BLOG DO ESPETO - PRETO.png
  • Vilmar Bueno, o ESPETO

BRDE chega aos 60 anos como principal parceiro de fomento da região Sul do Brasil



Região Sul


BRDE chega aos 60 anos como principal parceiro de fomento da região Sul do Brasil


Principal referência como instituição de fomento de caráter público no apoio a empresas e produtores rurais nos três estados do Sul do país, o Banco Regional de Desenvolvimento do Extremo Sul (BRDE) completa 60 anos de atuação na próxima terça-feira (15). Entre os maiores bancos em tamanho de carteira de crédito do Brasil, com R$ 13,5 bilhões, a instituição tem como missão promover o desenvolvimento econômico e social de toda a região de atuação, compromisso cada vez mais alinhado com as agendas da inovação e da sustentabilidade. Em seis décadas de atuação, o banco já atinge a marca de R$ 200 bilhões em operações de crédito.

Além de financiar projetos de longo prazo para empreendimentos públicos e privados de todos os portes, o banco vem dando uma resposta importante às necessidades de maior capital de giro aos segmentos mais afetados pela pandemia de Covid-19. O BRDE fechou 2020 com mais de R$ 3,3 bilhões em crédito para investimentos e capital de giro a empreendedores dos três estados acionistas - Rio Grande do Sul, Santa Catarina e Paraná - além da parceria com Mato Grosso do Sul.


"Diante de um cenário de crise, além dos seus próprios recursos, o banco vem trabalhando através de parcerias com outras instituições, nacionais e internacionais, com o objetivo de contemplar tanto o crédito emergencial em momento de extrema dificuldade para os empreendedores quanto o apoio a novos investimentos", ressalta o Diretor de Acompanhamento e Recuperação de Crédito, Marcelo Haendchen Dutra.


O BRDE busca acompanhar as mudanças cada vez mais aceleradas que o mundo vem enfrentando, acentuando seu compromisso com uma agenda de sustentabilidade, de apoio à inovação, mas sempre com um olhar para o impacto social que cada projeto trará. Neste sentido, um aspecto relevante é o compromisso assumido pelo banco como signatário da Agenda 2030 e os Objetivos de Desenvolvimento Sustentável (ODS) propostos pelas Nações Unidas.


A partir da diversificação das fontes de funding, o BRDE fez um esforço em ampliar os programas e linhas para atender o compromisso assumido, o que compreende desde projetos para o uso e produção de energias renováveis, agricultura de baixo carbono e obras de saneamento, mas também estímulo ao empreendedorismo das mulheres. Aproximadamente 83% da carteira de crédito do banco é aderente a, no mínimo, um ODS.

Solidez e impacto social

Referência em financiamentos de longo prazo, o BRDE é uma Instituição financeira pública de fomento, controlada pelos três estados do Sul e que conta com autonomia financeira e administrativa. O ativo total do banco é de R$ 16,7 bilhões e com um patrimônio líquido que chegou agora a R$ 3,12 bilhões. Conta com mais de 33 mil clientes ativos e está presente em 1.088 municípios, o que corresponde a 91,4% das cidades da região Sul. O BRDE possui índice de inadimplência (0,82% - abril/2021) abaixo da média dos bancos públicos do país (2,01% - abril/2021), e abaixo da média do Sistema Financeiro Nacional (2,19% - março/2021).


Preocupado em garantir solidez o banco tem buscado diversificar suas fontes de financiamento a ponto de registrar, no último ano, uma redução da participação do Sistema BNDES a 57,6% do total de financiamentos contratados. Esse resultado ocorreu mesmo com um aumento de 24,3% do volume contratado com recursos do BNDES em relação ao ano anterior, que passou de R$ 1,5 bilhão em 2019 para R$ 1,9 bilhão em 2020.

"O BRDE registra hoje um leque importante de parcerias com organismos internacionais, que permitiram contratações de R$ 308,4 milhões em 2020, um salto de 93,6% na comparação com 2019. Já as concessões de crédito com recursos próprios somaram R$ 651 milhões, uma elevação de 75,1% em relação a 2019", destaca o Diretor Financeiro da instituição, Vladimir Arthur Fey.


Segundo ele, o BRDE também já trabalha com a emissão de títulos financeiros como alternativa de captação de recursos. Numa etapa inicial, a captação está estimada em R$ 30 milhões, os quais serão alocados no Fundo BRDE de Promoção ao Desenvolvimento Produtivo, Sustentável e Social dos Estados da Região Sul - BRDE Promove Sul, a fim de serem utilizados para operações de crédito.


Além de apoiar com crédito produtores rurais, cooperativas, indústrias, serviços e o setor público, sempre a partir das diretrizes das políticas delineadas pelos estados acionistas, o banco desenvolve sua política de responsabilidade socioambiental.


"Como agente de desenvolvimento social, econômico e cultural da região onde atua, o BRDE tem como diretriz apoiar, através das leis de incentivos fiscais, diferentes projetos sociais, do esporte, da cultura e da saúde, aplicando de forma direta recursos em Santa Catarina e nos demais Estados do Sul", ressalta ainda Dutra.


No ano passado foram selecionados 106 projetos nos três estados, que totalizaram R$ 4,3 milhões. No acumulado desde 2015, o banco já destinou mais de R$ 23,7 milhões através das Leis de Incentivos - um terço do valor para projetos catarinenses.

Via RCN