BLOG DO ESPETO - PRETO.png
  • Vilmar Bueno, o ESPETO

A situação do hospital e a revolta dos pastores



São Bento do Sul

Pelo menos dez pastores de igrejas evangélica de São Bento do Sul, perderam a paciência divina, e estão postando áudios, para manifestação sua revolta com a situação da demora para o atendimento de pacientes, já que somente um plantonista está no pronto socorro no Hospital e Maternidade Sagrada Família – HMSF.

E para complicar mais, ainda falta de médicos em alguns postos de saúde. Um dos pastores que lidera o movimento é o suplente de vereador, Maurício Maia - PSD.

Em breve eles devem reunir os pastores, para marcar uma audiência com o prefeito Dr. Tomazini. Em um dos áudios um dos pastores se mostra indignado com a falta de atenção por parte do prefeito. – “Quando ele precisou de votos ele veio aqui na igreja pedir votos, e nós o ajudamos, mas assim está difícil como ele está comandando a saúde”, cobrou.

Outra situação é que o pronto socorre do hospital atende somente casos graves, os demais não têm outra solução do esperar.

Os pastores também já procuraram a presidente da Câmara, Carla Hofmann – PSD, para tentar alguma solução via Câmara de Vereadores.

Realmente a situação do HMSF está um caos, mas a de se ressaltar que a secretaria de saúde, já abriu um processo seletivo, e pelo menos dois médicos foram contratados, mas ainda falta em alguns postos do município. Um dos grandes entraves, é que como salário de R$ 14 mil por 40 horas, poucos médicos se interessam.

Outra situação, é quanto ao repasse feito pela prefeitura para o HMSF, para a manutenção da UTI e do plantão 24 horas. Mas ao hospital cabe a prestação de contas, e a secretaria de saúde não tem gerencia sobre a administração, por ser uma entidade filantrópica, e ainda recebe recursos federal e estadual.

Sem falar que essa situação de falta de médicos está acontecendo em vários municípios da região, como por exemplo, em Rio Negrinho, Campo Alegre e Papanduva.