top of page
  • Foto do escritorVilmar Bueno, o ESPETO

A 4ª fase da Operação Mensageiro deflagrada hoje tem mandados de prisão em 12 cidades



Estado

Na manhã desta quinta-feira (27) começou com mais um avanço da Operação Mensageiro, coordenada pelo Gaeco (Grupo de Atuação Especial de Combate ao Crime Organizado) e o Geac (Grupo Especial Anticorrupção), do MPSC (Ministério Público de Santa Catarina). Foi deflagrada a quarta-fase da operação, iniciada em dezembro de 2022, em várias localidades de Santa Catarina.

Estão sendo cumpridos mandados de prisão, nas cidades de Guaramirim, Massaranduba, Schroeder, Imaruí, Major Vieira, Três Barras, Corupá, Gravatal, Ibirama, Bela Vista do Toldo, Braço do Norte e Presidente Getúlio.

Análise de denúncia

Está na pauta da 5ª Câmara Criminal do Tribunal de Justiça de Santa Catarina (TJ-SC) desta quinta-feira (27) a denúncia do Ministério Público (MP-SC) contra o prefeito de Tubarão, Joares Ponticelli (PP), na operação Mensageiro. Caso ela seja aceita pelos três desembargadores-membros do grupo, o político se torna réu. Ponticelli está preso desde 14 de fevereiro no Presídio de Criciúma. A defesa dele é feita pelo advogado Nilton Macedo Machado.

Além dele, o prefeito de Itapoá, Marlon Neuber (PL), também terá a denúncia analisada nesta quinta. No começo do mês, a 5ª Câmara aceitou a denúncia contra três prefeitos também investigados e, atualmente, presos na operação: Deyvison Souza, de Pescaria Brava, Vicente Corrêa Costa, de Capivari de Baixo, e Luiz Henrique Saliba, de Papanduva.

Os quatro, investigados pela Operação Mensageiro, estão presos preventivamente após investigações do Ministério Público.

O prefeito de Tubarão, Joares Ponticelli (PP), e o vice, Caio Tokarski (União Brasil), assim como Darlan Mendes da Silva, que atuava como gerente de gestão municipal de Tubarão, participarão da audiência nesta quinta. A denúncia contra o prefeito Marlon Neuber (PL), de Itapoá, também será avaliada pelos desembargadores.


bottom of page