• Vilmar Bueno, o ESPETO

Ação inédita resgata mil mudas para replantio no Parque do Samae



São Bento do Sul

Uma ação inédita está sendo realizada em São Bento do Sul no que se refere a transposição voluntária de mudas com o objetivo de fortalecer a vegetação da mata na área do Parque do Samae, localizado na Avenida dos Imigrantes.

Coordenada por Paulo Schwirkowski, chefe de Divisão de Resíduos Sólidos Urbanos do Samae e coordenador do Programa de Pagamento por Serviços Ambientais "Produtor de Água do Rio Vermelho" - PSA, a ação está retirando mudas das mais variadas espécies do terreno onde será implantada a nova célula do aterro sanitário do município.

"Como nos próximos meses a mata será retirada de toda a área para início da implantação desta nova célula decidimos realizar este trabalho inédito, onde resgataremos inicialmente mil mudas de diversas espécies daquela área para o replantio na mata do Parque do Samae", explicou Paulo.

Paulo ainda comentou que este tipo de ação é realizada normalmente em empreendimentos de grande impacto ambiental, como por exemplo em áreas inundadas por barragens de represas hidrelétricas.

"Para empreendimentos de pequeno porte como este a prática não é usual, mas como todas estas plantas estão lá a disposição, optamos pelo replantio na área do Parque. Além de resgatarmos todas estas plantas, iremos ampliar a diversidade de espécies no Parque e ainda contribuir para a nossa mata. Toda esta área do Parque do Samae era de pastagem há cerca de 30 anos atrás, então o trabalho para a recomposição da mata é constante. E sobre esta iniciativa, bem que poderia ser replicada em muitos dos casos onde os órgãos ambientais autorizam a derrubada de vegetação, pois as mudas ali existentes são simplesmente roçadas e perdidas, não ocorrendo um aproveitamento das mesmas", comentou Paulo.

A área do aterro sanitário que foi licenciada para a instalação de uma nova célula para recebimento dos resíduos sólidos no município é coberta por vegetação secundária, e como tal, a derrubada da vegetação teve que ser autorizada pelo IMA.

A licença de derrubada do mato já foi emitida, porém, antes que esta mata seja derrubada a equipe do Samae está realizando o resgate de mudas de árvores que estão no local.

Os trabalhos de retirada e replantio iniciaram nesta segunda-feira, já com duzentas mudas de quarenta espécies diferentes retiradas da área do aterro sanitário, e ao  longo da semana a meta é transplantar as mil mudas.

Paulo ainda explicou que são mudas que variam de 20 cm até 2 m de altura, de espécies variadas, todas elas nativas e ecologicamente importantes, tanto para insetos como as abelhas, como para as aves, devido aos frutos que produzem. "O custo deste resgate é mínimo, envolvendo apenas mão de obra para retirada das mudas e replantio no Parque, por este motivo também estamos realizando a ação", finalizou.

As 40 espécies resgatadas inicialmente foram:

Aperta-ruão

Araçarana

Baga-de-veado

Camboatá-vermelho

Cambuí

Canela-amarela

Canela-guaicá

Capororoca - Myrsine gardneriana 

Capororoca - Myrsine lancifolia

Capororoquinha

Carne-de-vaca

Cataia

Chal-chal

Cincho

Congonha

Embira-branca - Daphnopsis fasciculata 

Embira-branca - Daphnopsis pseudosalix 

Erva-mate

Guaçatonga- Casearia decandra 

Guaçatonga- Casearia obliqua 

Guaiapá-manso

Guamirim

Guamirim-de-folha-miúda

Guamirim-ferro

Guamirim-miúdo

Ipê-amarelo

Jacarandá-branco

Jacatirão

Jacatirão-joinville

Jerivá

Miguel-pintado

Pariparova

Pau-de-espeto

Pau-de-sangue

Pimenteira

Samambaia-preta

Sidifolia 

Vassourão-preto

Xaxim